Catarse: Polícia realiza buscas em casas de servidores fantasmas

Catarse: Polícia realiza buscas em casas de servidores fantasmas

Mandados foram cumpridos em residências de servidores lotados na extinta secretaria geral de governo do Tocantins.

Em mais uma fase da Operação Catarse, na cidade de Araguaína, no Norte do Estado. Foram cumpridos, na manhã desta terça-feira, 24, mandados de busca e apreensão de documentos, computadores e demais dispositivos eletrônicos na residência de cinco ex-servidores temporários da extinta Secretaria Geral de Governo do Estado do Tocantins.

A suspeita da Polícia Civil é que os investigados recebiam salários, porém não exerciam as funções administrativas referentes ao cargo.

Segundo o delegado Guilherme Rocha, durante as investigações foi identificado que os cinco servidores não cumpriam agenda de trabalho de acordo com a lotação e atribuição a que foram nomeados. Um deles, de iniciais D. F. de J. O., nomeado em 05.03.2018 para o cargo de Supervisor de Suporte e Operação, trabalha na verdade como servente de pedreiro em Araguaína.

Já a segunda investigada, de iniciais R. C. F., foi nomeada em 02.03.2018 para o cargo de Agente de Cadastro e informação com salário de R$ 2.400,00, é ex-assessora parlamentar da Deputada Estadual Valderez Castelo Branco e exerce a advocacia no município de Araguaína.

A terceira investigada, de iniciais S. S. M., nomeada em 09.03.2018 para o cargo de supervisor de suporte e operação com salário de R$ 1.800,00, é atualmente assessora parlamentar da Deputada Estadual Valderez Castelo Branco e afirmou que mora em Araguaína há mais de 2 décadas.

Os outros dois investigados, de iniciais S. R. S e R. N. F. da S., foram nomeados para o cargo de técnico em suporte e operação e supervisor de suporte e operação, respectivamente, na extinta Secretaria Geral de Governo, e, conforme apurado, sempre residiram em Araguaína.
Ainda de acordo com o Delegado, as diligências foram reveladoras e, neste momento, os trabalhos se concentrarão na análise do material apreendido e na inquirição de testemunhas.

As investigações fazem parte da Operação Catarse, que investiga supostas contratações de servidores no Executivo e Legislativo do Estado sem a devida comprovação de atividades públicas. Nesta fase a operação contou com o apoio de policiais da Divisão Especializada em Investigações Criminais – DEIC/NORTE e da Divisão Especializada na Repressão a Narcóticos – DENARC, todos integrantes da DRACCO.

Deixe seu comentário