Ex-secretários da gestão Amastha são alvos de operação da PF; ex-prefeito também é investigado

Ex-secretários da gestão Amastha são alvos de operação da PF; ex-prefeito também é investigado

Ex-secretários teriam  fraudado licitações, juntamente com empresários do ramo de locação de veículos na capital. (Foto: Montagem/É Notícia Tocantins

 

Da Redação

A Polícia Federal (PF) cumpriu mandados de prisão contra quatro ex-secretários da Prefeitura de Palmas na manhã desta terça-feira (21), durante operação que investiga fraudes e superfaturamento em contratos de locação de veículos na capital. Os ex-secretários alvos da ação atuaram na gestão do ex-prefeito Carlos Amastha (PSB), que também está sendo investigado e teve os sigilos bancários e fiscal quebrados, além de mandados de busca e apreensão cumpridos em endereços ligados a ele.

A PF apurou que os contratos investigados foram firmados em 2014. O grupo de ex-secretários e empresários do ramo de locação de veículos teriam fraudado licitações para desviar recursos públicos. O prejuízo seria de mais de R$ 15 milhões para os cofres da capital.

O esquema
A princípio, segundo a Polícia Federal, a ata de registro de preços foi realizada pela Prefeitura de Porto Nacional, durante a gestão do prefeito Otoniel Andrade. Três empresas apresentaram propostas para a licitação, mas somente uma participou do pregão presencial, o que leva a crer que o contrato pode ter sido direcionado. A outras empresas apresentaram orçamentos com diferença de 2,3955% com a relação a proposta da empresa vencedora.
Depois do processo licitatório, a prefeitura de Palmas decidiu aderir a mesma ata de preços, firmando um contrato que ficou em vigor até 2018. Enquanto prefeitura de Porto Nacional pagou R$ 470 mil em aluguel de veículos, Palmas pagou mais de R$24 milhões.
Os alvos
Tiveram a prisão decretada por cinco dias os ex-secretários Adir Cardoso Gentil, Chistian Zini Amorim e Claudio de Araújo Schuller, além do empresário Marco Zancaner Gil. A prisão temporária de três dias foi decidida para a ex-secretária Cleide Brandão Alvarenga e os empresários Luciano Valadares Rosa, Carlo Raniere Soares Mendonça e José Emilio Houat. Além dos presos, foram realizadas buscas nos imóveis de empresários e políticos em Porto Nacional e Palmas, incluindo as residências de Carlos Amastha e Otoniel Andrade.

Deixe seu comentário