Justiça diz que MM precisa continuar preso pra que a investigação não sofra interferências

Justiça diz que MM precisa continuar preso pra que a investigação não sofra interferências

Marcelo Miranda está preso desde quinta feira (26) em uma sala do estado maior no Quartel de Comando Geral da Polícia Militar em Palmas.

O habeas corpus foi negado pelo desembargador Hilton Queiroz, do TRF da 1ª Região, na noite desta quarta-feira (2).

Na decisão, o magistrado entendeu que a prisão é necessária para que a investigação não sofra interferências externas.

O irmão de Marcelo, José Edmar Brito Miranda Júnior, também segue preso. Ele está em uma cela para presos com diploma de nível superior na Casa de Prisão Provisória de Palmas. O pai dos dois, José Edmar Brito Miranda, havia sido solto na sexta feira (27) após pagar fiança de mais de 200 mil reais.

Os três são apontados pelo Ministério Público Federal como responsáveis por um esquema de corrupção que pode ter desviado mais de R$ 300 milhões dos cofres do Tocantins. Marcelo Miranda foi governador do Tocantins por três mandatos, sendo que foi cassado antes de completar dois deles.

Deixe seu comentário