Optometria, saúde visual ao alcance de todos 

Optometria, saúde visual ao alcance de todos 

Profissão tem função social importante, mas tem sido perseguida em Gurupi

 

Dona Maria Ferreira tem 35 anos e de um certo tempo para cá, sentiu a visão ficar um pouco embaçada. Navegando pelas redes sociais viu a propaganda de uma clínica que oferecia exames a R$ 100. Foi, fez o exame e constatou miopia nos dois olhos. Comprou o óculos e hoje leva uma vida normal. O profissional que atendeu dona Maria foi um optometrista. Ela é manicure e ganha menos de um salário mínimo por mês, talvez não conseguiria pagar um exame numa clínica famosa. A consulta pode chegar a R$ 400.

 

“segundo a OMS, Organização Mundial da Saúde, a Optometria é a primeira barreira contra a cegueira evitável no mundo”

 

O Optometrista, é um profissional não médico, que pode ser bacharel ou técnico, responsável por cuidar da Visão, ele não realiza nenhum procedimento invasivo e cuida de consertar erros refrativos, com compensações com lentes ópticas, e exercícios terapêuticos, sem uso de cirurgias e medicamentos. Muitos pessoas preferem ser atendidas pelo optometrista por causa do acesso a consulta e pela confiabilidade do trabalho.

 

Em Gurupi existe um profissional que atende a comunidade, Izaias Gomes da Silva, é técnico e tem mais de 20 anos de experiência. Ele faz atendimentos em várias cidades do Tocantins e acredita que a profissão é essencial para a saúde em um todo. “segundo a OMS, Organização Mundial da Saúde, a Optometria é a primeira barreira contra a cegueira evitável no mundo, isto é preconizado de maneira linear em todos os países, é possível identificar patologias quando se olha o fundo do olho, é claro, que não diagnosticamos, mas podemos orientar pessoas a procurar um médico, quando há indícios de doenças”, disse.

Izaias atua na área há mais de 20 anos

Para o profissional, o ideal seria um Optometrista em cada posto de saúde , como já acontece em outros países.  “o Optometrista por ser um profissional não médico, tem um custo menor para a formação e por consequência é um profissional que pode realizar seu trabalho com custo muito mais acessível, para que toda as pessoas possam ter acesso ao exame de vista de qualidade, sem ter que investir muito dinheiro para cuidar de sua visão, é assim em todo o mundo, e também por este motivo os serviços públicos de saúde, podem contratar mais profissionais, para fazer um atendimento justo a toda população, para cuidar da Visão”, completou.

 

Izaias, como muitos outros profissionais no Brasil, tem sofrido perseguições por parte de pessoas que não entendem a profissão. A optometria foi desregulamentada há alguns anos, mas os profissionais querem e precisam trabalhar. Existe até  o Conselho brasileiro de óptica e Optometria CBOO que regulariza a profissão, mas em muitas cidades as vigilâncias sanitárias perseguem os profissionais e não liberam alvarás. Muitas vezes é preciso recorrer a justiça pra conseguir continuar atendendo, assegurado por uma liminar. Um decreto de número 51 de 11/06/2019, do presidente Jair Bolsonaro dá condições para os Optometristas técnicos trabalhem, a CCIII 7490-1/99 diz que “Outras atividades profissionais, científicas e técnicas não especificadas”, podem trabalhar normalmente.

Izaias acredita que é preciso uma maior valorização do trabalho, ele afirma que em Gurupi perdeu o direito de exercer a profissão, Foi necessário recorrer a justiça,  para poder exercer seu direito de trabalhar  e ganhar seu sustento  “A exemplo do que é feito nos EUA, Europa e Ásia, serviços da optometria é respeitado e indispensável neste lugares. A optometria é legal e reconhecida em todo o mundo. No Brasil, estamos trabalhando para divulgar e atender nosso povo, assim como o mundo faz. Nossos cursos são reconhecidos pelo MEC e MT. O congresso nacional já está preparando a regulamentação através da frente parlamentar da optometria, instalada em setembro de 2019, na câmara federal,” finalizou.

Deixe seu comentário